Arquivo de novembro, 2011

Fala gente boa do samba !!!

Esta chegando mais um fim de semana e com ele, nossa animada roda de samba na Vila das Belezas.

Mês de dezembro super especial para todos nós , comemoraremos o dia do Samba e o aniversário do Wilson Ciriaco.

Vou tentar ser o mais imparcaial possivel ( falar do meu irmão não é fácil) para descrever esse grande sambista que a todos  ensinou muito.

Cavaco e Banjo suntuoso digno de ser aplaudido pelos especialistas no instrumento. Talentosíssimo um dos maiores autodidatas que já vi na vida . Quem o vê toca,r tem uma ligeira impressão que frequentou anos e anos de conservatório.Essa impressão logo vem abaixo quando se nota o improviso, que pra mim é um dom.

Wilsinho é uma referencia pra muita gente que canta, toca e bebe também ( rs) pois, sabemos que ele é um dos grandes apreciadores do alto grau etílico aliado a ótimas piadas cotidianas…

Não tenho condição de descreve-lo sem me emocionar, por isso vou ficando por aqui, reforçando o convite para todos da 03/12 às 14:00hs

Rua Rafael de Proença,415 ( A 100 metros da Estr.de Itapecerica e Estação Vila das Belezas.)

Informações :8270-7172

Abraços

SAMBA DA VILA

 

Eu até estava com um texto sobre o Toninho Batuqueiro para postar mas, ao ler esse de minha amiga Raílidia Carvalho, não me senti capaz de escrever algo tão brilhante e com tanta maestria .

 

“Agora é só Flores”

Estive uma meia dúzia de vezes com o mestre Toniquinho Batuqueiro. Impressionava aquele velho negro com óculos escuros, sentado na cadeira olhando pra diante. Parecia durão. Até meio desconfiado quando o vi. Depois desandou a contar histórias do Plinio Marcos, do Zeca da Casa Verde. Cantou – e como canta bem – e reclamou da vida. É de carne e osso o nosso mestre.

Na segunda vez parecia uma realeza, de branco, com a faixa de cetim vermelho de embaixador do samba paulistano. Toniquinho era só altivez nos domínios do Anhanguera e a várzea paulistana estava aos pés dessa majestade.Toniquinho foi tratado como rei. Do samba. Do carnaval. Dos batuques do sudeste. Naquela noite, vimos e ouvimos o samba de São Paulo em pessoa.

A última vez em que vi o Toniquinho ele andava com dificuldade. Foi no cantinho do Peruche, escola que, ao que parece, era a do seu coração. Na ocasião, Toniquinho tocou, cantou baixinho, recebeu o carinho e a atenção que a herança construída por ele provoca. Cantei pra ele “Ditado Antigo”. É, mestre, samba nunca deu camisa.

Não vi mais o mestre Toniquinho. Ele desapareceu em um certo novembro, como Zumbi dos Palmares. Ouvi histórias de que está no interior de São Paulo tocando tambu, cururu com seus ancestrais. Sábio Toniquinho que inventou um samba com a profundidade das suas raízes. Felizes de nós que convivemos com ele e suas histórias. Quem quiser ouvir que chegue na roda. Agora é de saudade e lembranças o nosso mestre.
Railídia
Tristeza (Toniquinho Batuqueiro)
Tristeza não mora mais em meu lar
Não sei aonde ela foi morar
Agora que a tristeza foi embora
posso sorrir posso cantar e nunca mais chorar
Vem ver como é lindo o meu amanhecer
Depois que ela foi embora pelos caminhos de cores
Vem ver o meu jardim entristecido
Agora é só flores

S A M B A D A V I L A 19/11/2011.

Publicado: 15 de novembro de 2011 em Uncategorized

Está chegando o grande dia.

Já estávamos com saudades de fazer aquele samba na rua, cobertos pela benção de Deus e pela tendinha improvisada que o Joll nos conseguiu.

Começou numa brincadeira de fim de semana e já esta tomando dimensões inexplicáveis o nosso Samba da Vila.

Como time que esta ganhando não se mexe ( neste caso quem ganha é o nosso samba popular) no próximo encontro será  no sábado dia 19/11/2011.

Quem conseguir chegar antes das 14:00hs será recepcionado por uma ótima feijoada pra “dar sustância” ( como diz minha Mãe).

Espero vocês por lá, para mais uma tarde emocionante. Tenho certeza disso !

 

Rua Rafael de Proença,415 ( Altura do numero 500 da Estrada de Itapecerica e 50 metros da Estação Vila das Belezas)

Até lá é só encostar !

Alexandre Ciriaco.

Rompendo a barreira dos tradicionais e importantes bairros centrais e adjacentes de São Paulo, muitos bairros longínquos do centro da capital tiveram destaques e ainda tem, principalmente após os anos de 1960 com o surgimento das indústrias automobilísticas, que conjuntamente trouxe diversas empresas para complementá-las na montagem de seus produtos as chamadas auto-peças, e por conseguinte vieram outras como: farmacêuticas, plásticos, etc.
Devido a isso cresceu a imigração para região, europeus, nordestinos e interioranos do Estado à procura de novos rumos no eldorado paulistano.
Assim a cidade começou a se expandir para todos os lados, principalmente para a zona sul, próximo das indústrias automobilística do ABC e das autopeças e indústrias farmacêuticas de Santo Amaro, dentre muitas outras.
E, na zona sul, mais precisamente sudoeste, no eixo da estrada de Itapecerica da Serra, uma longa e tortuosa estrada que se inicia na Ponte João Dias sobre o Rio Pinheiros e vai até a cidade do mesmo nome com cerca de 15 km e a 30 km da Praça da Sé. Neste trajeto sinuoso, centenas de bairros se formaram com o decorrer do tempo onde os primeiros foram Capão Redondo em 1912, depois Campo Limpo em 1915 e Vila das Belezas em 1924, que é considerado o portal da região por ser o primeiro bairro logo após o Rio Pinheiros, margeado na entrada pelo Jd. Santo Antonio, Penhinha e Vila Andrade, e do lado esquerdo Jardim São Luiz (loteado em 1938), Jd. Monte Azul e assim até o bairro de Valo Velho, que com muitos outros chamado de carinhosamente de fundão da zona sul, que faz divisa com o município de Itapecerica da Serra.
Com essas informações queremos divulgar que também existe vida, clima, esperança, saudades e progresso na região que chamamos também de pós rio, Rio Pinheiros. Muitos chamam de periferia, às vezes pejorativamente, porém todos os bairros um dia foram.
Falando sobre a Vila das Belezas, muitos outros bairros irão se identificar com essa vila, que possui uma história interessante, pois nela vieram morar muitos descendentes de estrangeiros principalmente alemães, muitos vindo após a guerra e outros remanescente da grande vinda de alemães no governo Imperial de D. Pedro I em 1.828, para trabalharem e desenvolver a agricultura na região de Parelheiros, Colônia. Um projeto com bons propósitos, mas sem direção, sem apoio, fazendo com que muitos alemães abandonassem o local e se espalhassem pela cidade e pelos bairros da Zona Sul em geral Entre eles destacamos as famílias dos Klein, Vaders, Witner, Vouttke, Max, Grassmann, Winifrid, Rottner, Foster, Schimidt, Wolfgang, Schuartz, Wuttke, Belz, Meimberg e outros.
Assim como italianos: Moretti, Longate, Estazzionne, Gazzotti, Geniolli, Fatorelli, Capoto, Rossi, Calonego, Mulatti, Magnanni, Allegri, Palermo e outros.
Os portugueses como: Nunes, Teixeira, Agostinho, Bragança, Da Mata, Meira, Andrade, Amaro, Ramos, Simão, Quaresma e outros povos em menor escala, todos esses compõe a população de nosso bairro, nossa cidade, assim como principalmente os nordestinos, mineiros e interioranos do Estado em grande quantidade vieram colaborar com o crescimento de nossa cidade.

A Estrada de Itapecerica da Serra até os anos de 1955 era de terra batida com pedriscos, era margeada por grandes chácaras de hortaliças, frutas e olarias, principalmente na região de Vila das Belezas.
O transporte coletivo era feito apenas por uma 1 linha de ônibus que fazia o Vale do Anhangabaú até Itapecerica da Serra e uma outra que saia de Santo Amaro, todas da Empresa Expresso São Paulo – Itapecerica até os anos de 1960 –, depois assumindo essa linha a Empresa São Luiz Viação Ltda., hoje chamada de Viação Campo Belo com sede no bairro de V. das Belezas.

A Vila das Belezas foi testemunha de muitos fatos interessantes como a passagem da boiada que vinha da fazenda Santa Gertrudes da família Eder, que ficava na Estrada de Itapecerica logo após o bairro do Valo Velho do lado esquerdo, (onde logo abaixo passará o trecho sul do Rodoanel), ainda hoje existe a portaria com a inscrição da fazenda em abandono total, essa boiada ia para o matadouro de Santo Amaro, próximo onde hoje é o Shopping Boa Vista.
O Frigorífico Eder onde se produzia entre muitos produtos a famosa salsicha Santo Amaro. Quando a boiada passava a criançada ficava em cima dos barrancos jogando pedra e gritando até o tocador do berrante ameaçar a molecada.
Outro acontecimento no bairro era a passagem dos ciclistas da corrida, prova Nove de Julho, corrida anualmente, que saia de Itapecerica da Serra e ia até o Centro da Capital.
Também passava por aqui e ocorre até os dias de hoje os romeiros de Santo Amaro que vão até Bom Jesus de Pirapora. De 1972 até os dias de hoje a Vila das Belezas tem sua própria romaria, fundada pelo Benedito Pires de Borba já falecido, hoje comandada pelo seu filho Jair Pires de Borba.
Hoje, aqui passam carros, caminhões, motos, ônibus, nas via duplicadas em corredores exclusivos e uma linha de metro, com duas estações no bairro. Nada mais lembra o antigo bairro das pequenas casas com grandes quintais de cercas vivas floridas.
A especulação imobiliária vem tomando conta de tudo, e com a aproximação da região do Morumbi onde os prédios brotam e crescem de um dia para o outro assustadoramente vindo em direção de nosso bairro como um rolo compressor nos adiantando o que acontecerá em breve, o que já houve com os bairros do Brooklin, Itaim Bibi, Chácara Santo Antônio, Vila Olímpia e outros que perderam a sua identidade, seu romantismo, seu bucolismo com o progresso desenfreado.

e-mail do autor: estan_tec@hotmail.com

Samba de Sábado

Publicado: 7 de novembro de 2011 em Uncategorized

Pessoal, gostaria de agradescer demais a presença de todos que compareceram no Samba da Vila no ultimo dia 05/11.

Realmente vcs são demais !

Nós do Toque de Reunir, ficamos muito gratos e lisonjeados em fazer com que varias pessoas se divertissem e o que é mais importante, se reencontrassem no nosso samba.

Tivemos a participação de um dos fundadores do Jóia Rara,  que lá atras nos anos 90, fomentou o samba naquela região.Agradecemos demais o grande Mauricio Beisso.

Também contamos com uma rápida canja do parceiro Tiano Araujo, que me prometeu estar no dia 19/11 de corpo e alma.

 

Fica aqui o agradecimento de todos os integrantes do nosso Samba da Vila ( Assim batizado pelo Toninho “Bull Dog” ).